10.6.08

MATANDO A CHARADA!



Tenho conversado com umas pessoas sobre o Justice.
É engraçado. Desde que surgiu o Justice (que são dois DJ´s franceses) tem causado fricassê e atingido pontos que outros projetos "alternativos" do passado não conseguiram. (digo isso aos que em sã consciência não consideram Coldplay como alternativo)

Mas eu gostaria de remeter-me aos clipes, que são ao mesmo tempo metalinguagem, discurso político, rave e artes plásticas (??)

Gostaria de deixar claro que nenhuma das linhas aqui foi profundamente pesquisada (por que eu não sou jornalista e nem quero ser, heheh) então o que segue é uma visão pessoal e romântica do fenômeno, desculpa qualquer coisa.

Conheci o Justice, engraçado, não através de algum canal de música alternativa ou etc, mas por um site de design (que o Henrique Faria me mostrou) que o louvava (isso tipo um ano atrás) pela criatividade e qualidade técnica do clipe de D.A.N.C.E.

E realmente engraçado, a primeira coisa que me veio à cabeça foi "que molecada ousada, vocais estilo Michael criança, baixo estilo Michael Thriller só que bombado (a la Digitalism), no clipe camisetas que mudavam sem parar, um certo sentimento de "maloqueiragem" mas com muita classe... hmm..." Depois vi que eram dois dj´s e não uma banda e que nas imagens de divulgação eles pareciam dois metaleiros (dup!)

Bem, se você vir este clipe aqui deles se apresentando ao vivo no programa Jimmy Kimmel talvez entendam minha comparação entre o senso de humor deles e do Kurt Cobain e trupe.

Depois eles lançaram o clipe do DVNO que segue a linha do D.A.N.C.E. mas que trata mais de símbolos visuais e conceitos e termina com eles tocando piano e jogando as partituras pra trás, fazendo referência a esses comerciais.

Este clipe também é um 80´s bombado, lembra daqueles que depois se dissolveram em baladas a um real no quartel? BUMTS BUMTS (lembrou?) (este clipe particularmente é bem parecido com o de DVNO)

E minha impressão era: dois metaleiros que fazem partitura mas ainda assim terminavam o clipe feito manos, aparecendo a assinatura da galera deles.

Nesse meio tempo o Justice ganhou muitos prêmios, inclusive da MTV, Kanye West falou puto: "Quem já ouviu falar desses caras?"
E o segundo prémio foi entregue a Justice, pelo vídeo de D.A.N.C.E. , "será que temos de pedir desculpa a Kanye West?" O rapper perdeu com “Video Star” neste ano e para os mesmos rivais…
Os Justice não perderam a oportunidade de perguntar por Kanye, e dizer que estavam à espera de uma reação. E teve também o clipe do Kayne que imitava esse do Justice e usava um sample de Daft Punk (???) PARA COM QUEM o Justice vinha sendo comparado desde o começo.

Depois o clipe de Stress. Um clipe nervoso que foi proibido na França. Inclusive não tem mais no Youtube...

Bem, nesse eles além de chutar a própria música (D.A.N.C.E) no caso comprovam que são metaleiros/manos de verdade.
O clipe não fala de algo específico como violência, ele é o que é. Coisa de artista.
( E será que esse clipe seria uma réplica a Kanye West? )

E essa cruz nas roupas da gangue, que nos shows junto à uma parede de aparelhos eletrônicos impedem os fãs de ver os dois djs? (a não ser que você esteja bem atrás) Me diga sinceramente, depois de 2000 anos de baboseira, é possível uma mensagem visual usando uma cruz que não remeta ao saudoso catolicismo (lembram dele?), agora o que isso quer dizer exatamente?

E a referência à Iron Maiden com "One minute to midnight"? (um minuto, daí começa a dar medo né?) E esses timbres e riffs de Death Metal dos anos 80? Meu amigo Paulo de Nadal colocou bem: o começo de "Waters of Nazareth" inaugurou um timbre pra mim"

Bem, Justice...é um mistério... Mas enfim, eles trouxeram de volta ao mainstream algo que não havia desde o Nirvana: arte e arte fina...bem todos sabem que são os detalhes que fazem as garotas suarem ainda mais...

2 comments:

temporário said...

meninas suarem
quem escreveu isso
detalhes que fazem as meninas suarem
ui.

dw said...

hahah, isso é o refrão de DVNO:

"DVNO, 4 letras maiúsculas, impressas em ouro, porque os detalhes fazem as garotas suarem ainda mais, enquanto estão chacoalhando o cinto, não precisa perguntar meu nome, pra sacar o quão legal eu sou"